O uso das terapias Holisticas se popularizou pelo mundo, são diversos os estudos em torno dos benefícios que esse tipo de medicina pode trazer às pessoas. Por isso já tem tempos que o Ministério da Saude aprovou uma lei que aceita esse tipo de técnica em conjunto com a medicina. Confira a seguir as terapias alternativas no SUS.

Acupuntura, águas termais, fitoterapia, e outras práticas como a homeopatia foram autorizadas já em meados de 2008 pelo Governo Federal através do Sistema Único de Saúde, SUS, a homeopatia é vista como apoio aos tratamentos convencionais, por isso se enquadra na políticanacional de práticas integrativas complementares (PNPIC). Os tratamentos alternativos gratuitos são considerados a medicina não-convencional, e vistos como a possibilidade de oferecer mais qualidade de vida aos pacientes, em vista de que todos os tratamentos visam o equilíbrio das energias vitais do homem.

Mais qualidade de vida, potencializar os efeitos dos tratamentos convencionais e também melhorar as condições psicológicas e aliviar as dores, tudo isso se obtém com o uso da medicina alternativa no SUS sem nenhum custo adicional. O governo percebeu que essas práticas inclusive reduzem os custos dos tratamentos convencionais, uma vez que os pacientes passam a se sentir melhores e que os tratamentos podem ser encurtados.

O primeiro passo foi garantir que se implantasse as plantas medicinais no mercado em conjunto com uma fiscalização acirrada do Ministério da Saúde, uma vez os medicamentos no mercado as pessoas tiveram acesso à esses meios com a segurança da fiscalização do governo. Depois disso, cerca de 1.200 munícipios tiveram profissionais no ramo da medicina alternativa contratados, e hoje esse número cresceu mas não encontramos pesquisas com o percentual atual, procure pelos tratamentos com terapias alternativas do SUS da sua cidade, caso não exista a prefeitura pode encaminhar para o polo mais próximo. É tudo gratuito e de fácil acesso, basta saber se informar, outra maneira é pedir ao próprio médico que encaminhe para os tratamentos alternativos gratuitos do SUS.